Inflação! Saiba como ficaram essas taxas em 2020 na Itália e no Brasil

17/02/2021


Hoje, nosso guia econômico para seus negócios e investimentos traz alguns dados sobre as economias brasileira e italiana em 2020. 

Apesar da crise causada pela pandemia de COVID-19, alguns indicadores podem significar sensível melhora nas condições de vida de brasileiros e italianos a longo prazo, bem como no ambiente de negócios entre os dois países.

Inflação

No Brasil, a inflação fechou 2020 com alta de 4,52%, a maior desde 2016 (6,29%), segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Com o resultado, o índice do ano ficou acima do centro da meta, definido pelo Conselho Monetário Nacional, que era de 4%, mas dentro da margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para baixo (2,5%) ou para cima (5,5%). 

Já na Itália, a média dos preços ao consumidor registrou uma queda de 0,2% em 2020. No ano anterior, a taxa foi de 0,6%. 

Em novembro de 2020, a inflação seguiu negativa pelo oitavo mês consecutivo, devido aos preços dos bens de energia (-7,7%, ante -8,6% no mês anterior), juntamente com a queda dos preços dos Serviços de Transporte (de -1,6 % para -0,7%). No entanto, o aumento dos preços dos produtos alimentares não transformados (de 3,2% para 1,6%) compensam as perdas em outros setores, determinando assim a relativa estabilidade do índice.

O Indice dei prezzi al consumo armonizzato (Índice harmonizado de preços ao consumo – IPCA) teve alta de 0,2% em relação ao mês anterior e queda de 0,3% em relação a novembro de 2019, confirmando a estimativa preliminar. A variação média anual em 2020 foi de -0,1%, enquanto em 2019 foi de 0,6%.

Fontes: IBGE e Istat



Todas as Notícias