“Investir na Itália” – Seminário no Ministério das Relações Exteriores italiano

14/06/2017


“O governo italiano, a partir do lançamento do programa “Destinação Itália” em 2013, incluiu a atração dos investimentos estrangeiros nas próprias prioridades, iniciando uma reorganização “sistemática” do setor para criar um ambiente mais favorável para as empresas que se interessam à Itália. O interesse dos empreendedores na Itália é muito alto, como tive oportunidade de constatar encontrando diretamente com muitos deles na Itália e no exterior […] Diplomacia econômica significa suportar a economia italiana ajudando as empresas a se expandir no exterior e garantindo que as empresas estrangeiras invistam no nosso País cada vez mais. A Itália oferece de fato muitas oportunidades, sendo ela a segunda economia manufatureira da Europa e uma porta de acesso para os 500 milhões de consumidores da União Europeia e para os 270 milhões dos Países do Mediterrâneo do Sul e do Médio Oriente”. Assim disse o Ministro das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional, Angelino Alfano, por ocasião do evento “Investir em Itália: quadro legislativo e institucional para os investimentos estrangeiros”, realizado no dia 13 de junho 2017 na Farnesina, o Ministério das Relações Exteriores italiano.

O evento, iniciado pelo Ministro Alfano, constituiu a ocasião para apresentar a estratégia governativa adoptada para obter um ambiente de negócios melhor, tornando assim a Itália mais atrativa. “A Itália” afirmou o Ministro “fez um salto do 16° ao 13° lugar no Foreign Direct Investement Index (publicado pela A.T. Kearney) e hoje fica logo atrás da Suíça. Além disso, na classifica europeia dos investimentos estrangeiros de Ernst & Young, a Itália conseguiu um aumento dos projetos de investimentos equivalente a 62% (de 2015 a 2016), segundo somente àquilo da Suécia.”

Destinado a embaixadores e diplomáticos de acerca de 50 Países, aos representantes das multinacionais operantes na Itália e aos escritórios de advogados e consultores, o evento contou também com a apresentação do “Global Attractiveness Index” de The European House – Ambrosetti, modelo analítico multidimensional sobre a atratividade do País.

Vários representantes das instituições que operam no setor participaram no evento e relataram as próprias experiências: General Electric, Nuovo Pignone – G.E. Oil & Gas, Huawei e o fundo Americano Ramius, quatro importantes empresas estrangeiras que confiaram e investiram na Itália.

Fonte: Farnesina



Todas as Notícias