Recorde de exportação em 2017 para o setor agro-alimentar made in Italy, + 10%

29/05/2017


Recorde histórico, nos primeiros meses de 2017, das exportações de produtos agrícolas e alimentares made in Italy, que cresceram 10%. O dado foi revelado em uma análise da Coldiretti, Confederação Nacional de Agricultores da Itália, apresentada na  abertura da Tuttofood, feira do setor realizada em Milão, com base em números do ISTAT (Instituto Nacional de Estatística) sobre o comércio exterior. Em 2016, as exportações agroalimentares registraram um recorde de 38,4 bilhões de euros.

O produto alimentar italiano mais apreciado no exterior é o vinho (5,6 bilhões em 2016), seguido pela frutas frescas e processadas (4,6), vegetais frescos e processados (3,7) animais e carne (3), laticínios (2,7), massa (2,3) e azeite (1,2).

Quase dois terços das exportações em 2017 – de acordo com a Coldiretti – se destinam aos países da UE, mercado que cresceu 6%, mas o Made in Italy à mesa continua a se expandir em todos os principais mercados, da América do Norte à Ásia e à Oceania. Um salto de 59% foi registrado na Rússia, onde, no entanto, os valores permanecem reduzidos devido às sanções econômicas impostas pela União Europeia ao país. Os EUA são o primeiro mercado fora da UE (+ 11%), o terceiro depois da Alemanha e da França, e antes do Reino Unido.

Contra o sucesso do agro-alimentar Made in Italy no exterior, de acordo com a Coldiretti, pesam fortemente as mudanças atuais da política internacional, que poderiam levar a medidas neo-protecionistas. “O resultado das eleições francesas, com a vitória de Emmanuel Macron – salienta o Presidente Roberto Moncalvo – deveria evitar choques, mas a relação com o Reino Unido deverá mudar de acordo com os efeitos da Brexit. Nos EUA, esperam-se as consequências do anúncio de Donald Trump da lista de produtos europeus que deverá ter a importação restringida, em resposta à controvérsia gerada pelas restrições da UE à entrada de carne americana no bloco”.

Fonte: ANSA



Todas as Notícias