Rio registra em 2019 segunda maior corrente de comércio internacional desde 2013

18/02/2020


Em 2019, o estado do Rio alcançou a sua segunda maior corrente de comércio desde 2013. De acordo com o boletim Rio Exporta, publicado pela Firjan, o fluxo internacional atingiu US$ 49 bilhões. Foram US$ 27,8 bilhões em exportações e US$ 21 bilhões em importações, gerando um saldo superavitário de R$ 6,6 bilhões, 15% a mais em relação ao ano anterior. Com isso, o Rio se manteve em segundo lugar na participação do comércio exterior do Brasil, detendo fatia de 12%.

Em produtos básicos, houve recorde na quantidade de barris de petróleo destinados ao exterior, que somaram 322 milhões de unidades. Em valores (US$ 18,6 bilhões), entretanto, o recuo foi de 1%, tendo em vista a média anual do preço do barril de US$ 64,28, 11% abaixo do praticado no ano anterior. Mesmo assim, a indústria do petróleo e gás natural representou 68% da pauta exportadora do estado (recuo de 1%), com atenção para o crescimento de 24% das vendas desse produto para a China. Com isso, o país asiático foi o destino de 69% das exportações fluminenses de petróleo em 2019.

As vendas de partes de motores e turbinas para aviação (US$ 1,6 bilhão) se destacaram, com avanço de 60%, e se tornaram o segundo bem mais exportado pelo estado do Rio, ultrapassando os produtos semimanufaturados de ferro e aço. As exportações da indústria de produtos de borracha também cresceram, em especial a de pneumáticos, que avançou 11% e somou US$ 380 milhões.

Enquanto isso, a venda de bens industrializados somou US$ 8,8 bilhões, diminuição de 10%, em boa parte associada à crise argentina, que impactou os cenários nacional e fluminense. Essa situação resultou na queda de 34% nas exportações de automóveis de passageiros do estado – setor expressivo na economia local.

Fonte: FIRJAN



Todas as Notícias