Embaixador Azzarello diz que o setor agroalimentar é um desafio em comum entre Brasil e Itália

11/05/2022


As diferentes complementaridades do setor agroalimentar Itália-Brasil, graças ao modelo de pequena e média propriedade e ao esforço comum em energias renováveis ​​e em assegurar uma convivência cada vez maior de qualidade e sustentabilidade dos produtos “foram dois dos temas em centro de uma entrevista que o embaixador da Itália no Brasil, Francesco Azzarello, concedeu ao principal canal de televisão de notícias do mundo agropecuário do país sul-americano, o AgroMais. Os principais passos da entrevista foram relançados em nota. A entrevista será transmitida exclusivamente na sexta-feira, 13 de maio, às 22h00, no canal de televisão AgroMais.

O diplomata italiano, anunciou o comunicado de imprensa, “em primeiro lugar felicitou o recente sucesso de espectadores e volume de negócios da Agrishow, a maior exposição do mundo de máquinas e tecnologias agrícolas em Ribeirão Preto, da qual a Itália participou com um grande pavilhão nacional ” . Azzarello, continua, “explorou então o tema das diferentes complementaridades do setor agroalimentar Itália-Brasil, graças ao modelo de pequena e média propriedade, ao nível de sofisticação tecnológica, à indústria de processamento e aos sistemas de irrigação inteligentes italianos, que pode contribuir para a consolidação do colossal setor brasileiro, com vistas à cooperação industrial e coproduções”.

O Embaixador, prossegue a nota, “falou também do esforço comum nas energias renováveis ​​e na garantia de uma cada vez maior coexistência de qualidade e sustentabilidade dos produtos, face à crescente exigência ambiental dos grandes mercados consumidores e de proteção contra as alterações climáticas. futuro, a fim de evitar riscos potenciais também no setor agroalimentar e pecuário”.

O diplomata italiano, prossegue o comunicado, “finalmente aprofundou os laços bilaterais no setor cafeeiro, focando os esforços, a serem incentivados e valorizados internacionalmente, dos produtores brasileiros visando níveis cada vez mais elevados de qualidade e sustentabilidade, com crescente atenção à certificação e rastreabilidade”. O ‘Café especial’, concluiu o Embaixador, “permitiu às plantações do Estado de Minas Gerais, grande exportador de café da Europa, atingir as chamadas ‘emissões negativas’ de gases de efeito estufa”.

Fonte: Agenzia Dire



Todas as Notícias