Green Communities, também na Itália um apoio válido à transição verde para pequenos territórios

13/04/2022


A Terre del Monviso no Piemonte, a Montanha do Leite em Emilia Romagna e o Parque Regional Sirente Velino em Abruzzo. Aqui estão as três primeiras “Comunidades Verdes” que nascerão na Itália graças aos fundos da Next Generation EU. O anúncio foi feito pela ministra dos assuntos regionais e autonomias, Mariastella Gelmini. A Missão “Revolução Verde e Transição Ecológica” do NRP reserva 135 milhões de euros para este projeto, destinado a apoiar 30 comunidades locais no seu caminho para uma transição equitativa e inclusiva.

A iniciativa Comunidades Verdes, contemplada pela lei de estabilidade de 2016, visa apoiar o desenvolvimento sustentável das zonas rurais e de montanha que pretendam explorar os seus recursos naturais de forma equilibrada. Pequenas comunidades, ainda que de forma coordenada ou associada, serão assim auxiliadas no desenvolvimento de planos de desenvolvimento energético, ambiental, econômico e social com foco na água, nas florestas e na paisagem. As áreas de atuação previstas pelo NRP incluem a gestão integrada e certificada do património agroflorestal e dos recursos hídricos, a produção de energia a partir de fontes renováveis ​​(hidrelétrica, biomassa, biogás, eólica), o desenvolvimento do turismo sustentável, a integração de serviços de mobilidade , o desenvolvimento de um modelo agrícola sustentável.

Na Itália, as Comunidades Verdes começam com três projetos-piloto em Abruzzo, Emilia-Romagna e Piemonte, e uma dotação de 6 milhões de euros. Seguir-se-ão outras 27 comunidades verdes selecionadas por concurso. “Esta primeira seleção experimental – explica o ministro Gelmini – representa as melhores práticas a nível nacional. Tanto para estes como para os projetos subsequentes, estarão envolvidas Regiões, Províncias, Municípios, associações, cidadãos e empresas. A colaboração interinstitucional é o pilar sobre o qual se constrói todo o sistema de investimento”.

Em detalhe, a comunidade verde “Terre del Monviso” no Piemonte prevê o envolvimento de 75% dos municípios de montanha em um projeto de habitação social e nas iniciativas de requalificação energética de edifícios públicos. A implementação de uma comunidade público-privada renovável e o desenvolvimento de uma nova oferta turística sustentável baseada no envolvimento dos territórios caminharão de mãos dadas. Em Abruzzo, o projeto “Parque Regional Sirente Velino”, que inclui 22 municípios, tem como foco a melhoria da gestão dos recursos naturais, a eficiência da construção e as redes de mobilidade. Finalmente, a União da Montanha dos Apeninos Reggiano “La Montagna del Latte” dará espaço à mobilidade alternativa em áreas de baixa demanda e às políticas de sustentabilidade, para a criação de comunidades energéticas e a disseminação de energias renováveis, a melhoria dos serviços ecossistêmicos, a afirmação de novos modelos de aproveitamento e valorização agropecuária em linha com as demandas das mudanças climáticas.

 

Gostou? Entre em contato conosco para conhecer as oportunidades em green energy na Itália!

 

Fonte: La Repubblica



Todas as Notícias