O Festival de Economia para entender aonde o mundo está indo

04/05/2022


A pandemia e a guerra entre a Rússia e a Ucrânia perturbaram o equilíbrio político e econômico a que estávamos habituados e estão definindo novos, ainda com contornos confusos. Já se fala do fim da globalização, do repensar dos modelos de produção e das cadeias produtivas, enquanto as empresas, que são a espinha dorsal da economia italiana se perguntam quais serão os novos paradigmas e de que forma e em que direção terão que direcionar seus investimentos.

O 17º Festival de Economia de Trento, entre 2 e 5 de junho, tentará fornecer as ferramentas para refletir e colocar alguma ordem nesse cenário ainda em evolução.

Este é precisamente o título “Depois da Pandemia, entre Ordem e Desordem”, o novo formato do Festival que vê pela primeira vez o Grupo 24 ORE juntamente com o Trentino Marketing no papel de organizadores, em nome da Província Autônoma de Trento e com o contributo da Câmara Municipal e da Universidade de Trento.

Será uma edição de continuidade com o passado, evidenciada pela presença de grandes players internacionais do mundo econômico e acadêmico. Mas também de inovação, com maior atenção à economia local, através de um programa dedicado a ela. Particular atenção também foi dada ao envolvimento do maior público possível, especialmente os jovens, com atividades dedicadas e com um evento real dentro do evento, o Festival Fuori.

Ontem foi divulgada a agenda oficial e completa do evento: mais de 200 eventos em quatro dias, durante os quais falarão muitos prêmios Nobel, mais de 75 protagonistas do mundo acadêmico, 20 dos mais importantes economistas internacionais e nacionais, 26 representantes do principais instituições europeias e nacionais, 36 palestrantes internacionais, mais de 30 gerentes e empresários de algumas das principais empresas italianas e multinacionais, 11 ministros.

A programação do evento começará já na manhã de quinta-feira, 2 de junho, mas a cerimônia inaugural será realizada das 16h às 18h no Teatro Sociale di Trento, com o evento “Por uma nova filosofia de desenvolvimento, entre ética e espiritualidade “, que será introduzido por um diálogo entre a escritora Silvia Avallone e o cardeal Gianfranco Ravasi.

O Festival abordará questões relacionadas à economia real e finanças; à geopolítica; a transição energética e digital; questões de gênero e demografia. O presidente da Confindustria Carlo Bonomi falará sobre economia empresarial no dia 5 de junho, em diálogo com Silvia Borrelli, correspondente italiana do Financial Times. Como a guerra na Ucrânia está mudando o mundo será discutido pelo general John R. Allen, presidente do USMC, The Brookings Institution, e Paolo Magri, vice-presidente executivo do Ispi.

O professor Romano Prodi falará sobre geopolítica e geoeconomia após a guerra, enquanto Giulio Tremonti, presidente do Aspen Institute Italia, falará sobre globalização e desglobalização.

Antonio Patuelli, presidente da Abi, falará sobre as novas fronteiras bancárias; Paolo Savona, professor emérito e presidente do Consob falará sobre criptomoedas, moedas tradicionais e autoridades fiscalizadoras. Ernesto Maria Ruffini, diretor da Receita Federal, falará sobre a reforma tributária entre emergências e igualdade. Entre outras intervenções, a do Comissário Europeu para os Assuntos Económicos e Monetários, Paolo Gentiloni.

O encerramento do Festival, domingo à noite, ficará a cargo de Maurizio Fugatti, presidente da Província de Trento, e Fabio Tamburini, diretor da Sole 24 Ore.

Fonte: Il Sole 24 Ore



Todas as Notícias