Presidente da Itália, Mattarella celebra a Libertação em Acerra: “A Resistência redimiu a Itália”

25/04/2022


O Presidente da Itália, Sergio Mattarella, foi a Acerra (Nápoles), cidade medalha de ouro pelo mérito civil, para a cerimônia dos 77 anos da Libertação.

“Dirijo uma saudação ao prefeito de Acerra e, através dele, a toda a gente de Acerra, assegurando que a minha presença está naturalmente ligada à importante ocasião que nos une mas também pretende mostrar a proximidade com a cidade e com a qualidade de vida nesta área e atenção aos seus perfis sociais e ambientais. É um momento particularmente significativo para comemorar o 25 de abril, aniversário da Libertação, aqui em Acerra, medalha de ouro por mérito civil, palco – em outubro de 1943 – de um terrível massacre de civis inocentes, por muito tempo quase esquecidos”.

Em Acerra, ocorreu uma terrível represália das tropas nazistas que fugiam do sul da Itália, entre 1 e 3 de outubro de 1943. Aproximadamente 90 vítimas confirmadas, homens, mulheres, mas também crianças: o mais novo, Gennaro Auriemma, tinha apenas um ano de idade. A cidade foi posta a fogo e espada e o martírio foi reconhecido em 1999 com a atribuição da medalha de ouro ao mérito civil.

“Os combatentes da montanha, os muitos revezamentos partidários, os soldados que, perdendo suas vidas ou sendo deportados, se recusaram a servir sob a sombria bandeira de Salò, resistiram”, acrescentou o presidente Mattarella. que apoiaram a rede logística da Resistência. Os trabalhadores que entraram em greve no Norte foram resistentes, os autores de folhetos e jornais clandestinos, os intelectuais que não desistiram, os párocos que permaneceram perto de seu rebanho ferido. vítimas inocentes dos muitos massacres que, naquela época terrível, ensanguentaram nosso país”.

“A Resistência contra o nazifascismo ajudou a elevar a imagem e a recuperar o prestígio do nosso país. Foi em nome desta Itália que Alcide De Gasperi pôde apresentar-se de cabeça erguida na Conferência de Paz de Paris. Este resgate , o sangue derramado, celebramos hoje a nossa recém-descoberta honra nacional, juntamente com toda a Itália, aqui em Acerra”, continuou o Chefe de Estado. “Esse retrocesso na história representa um perigo não apenas para a Ucrânia, mas para todos os europeus. Sentimos a necessidade de interromper imediatamente, com determinação, essa deriva da guerra antes que ela possa perturbar ainda mais a coexistência internacional, antes que possa se estender tragicamente. caminho para a paz, para restaurá-la, para que possa voltar a ser a pedra angular da vida na Europa. É por isso que dizemos com convicção: viva a liberdade em todos os lugares. Especialmente onde ela é ameaçada ou pisoteada “.

Mas o Presidente da República também tem palavras para os temas atuais: “Na madrugada de 24 de fevereiro todos fomos atingidos pela notícia de que as Forças Armadas Russas invadiram a Ucrânia, entrando em seu território. forte sensação de alarme, de tristeza, de indignação. Esses sentimentos foram imediatamente acompanhados pelo pensamento dos ucranianos despertados pelas bombas. E, pensando neles, estas palavras me vieram à mente: “Esta manhã acordei e encontrei o invasor ” . Todos nós sabemos de onde essas palavras vêm. Elas são as primeiras de Bella ciao.”

Após a homenagem ao monumento à memória, Mattarella é esperado na cerimônia no castelo dos Condes com o prefeito de Acerra, Raffaele Lettieri, e o bispo Monsenhor Antonio Di Donna.

As palavras do primeiro-ministro Draghi

Declarações por ocasião do 77º aniversário da Libertação também de Mario Draghi, impossibilitado de comparecer às comemorações devido à covid contraída na semana passada: a ditadura do nazi-fascismo. A generosidade, a coragem, o patriotismo dos partidários e de toda a Resistência são valores vivos, fortes e atuais. Hoje celebramos a memória da luta e dos ideais da Resistência sobre os quais foi construída a nossa paz. todos os italianos, feliz Dia da Libertação”.

Fonte: Rai



Todas as Notícias