Seminário discute relação econômica e cultura entre Brasil e Itália

11/07/2016


Seminário discute relação econômica e cultura entre Brasil e Itália

Discutir as relações econômicas e culturais entre brasileiros e italianos foi o principal objetivo do Seminário Grupo Parlamentar Brasil – Itália que aconteceu nesta terça-feira (5), em Brasília. No primeiro momento entrou em debate o desenvolvimento das relações econômicas entre os dois países, com especial atenção para os setores de infraestrutura, cooperação nos setores da defesa e aeroespacial e desenvolvimento do turismo. Em seguida, o seminário abordou as medidas a adotar para favorecer a divulgação das respectivas culturas e a difusão das línguas dos dois países.

Promovido pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional e o Grupo Parlamentar Brasil-Itália, o Seminário contou com a presença do presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, deputado Pedro Vilela (PSDB-AL), do presidente do Grupo Brasil-Itália, Carlos Zarattini (PT-SP); da vice-presidente da Câmara dos Deputados da Itália, deputada Marina Sereni; e do embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini.

“Estamos aqui para estreitar as relações, intensificar o diálogo político e aproximar ainda mais o Brasil da Itália. Como presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional reitero o compromisso de
trabalharmos em prol de uma relação equilibrada, profícua, e que produza os resultados esperados por nossos cidadãos”, ressaltou o deputado Pedro Vilela.

O Seminário debateu ainda o impacto da despesa destinada ao bem-estar social no desenvolvimento econômico e a aplicação do Acordo de Paris. Assinado por mais de 170 países, o acordo é resultado da COP 21, Conferência da ONU realizada em Paris, no fim do ano passado. O documento traz uma série de compromissos assumidos pelos países, como a redução de emissões de gases de efeito estufa; esforço de adaptação às conseqüências das mudanças climáticas; e indicação de fontes de financiamento para a transição para economias de baixo carbono.

“A Itália figura entre os dez principais parceiros comerciais do Brasil. No ano passado, o intercâmbio comercial bilateral alcançou US$ 7,94 bilhões.Em termos de investimentos e criação de empregos o relacionamento é
igualmente intenso e a Itália segue em 10º lugar entre os países que mais investem no Brasil. As relações precisam ser estreita e o diálogo permanente”, destacou Vilela.

Fonte: CADAMINUTO



Todas as Notícias