Sergio Mattarella é reeleito Presidente da Itália

31/01/2022


A Itália presenciou na última semana as eleições presidenciais, uma das mais longas de sua história como república.

Depois de dias em que, voto após voto, seu nome cresceu exponencialmente, foi eleito o Presidente da República: Sergio Mattarella, que recebeu a maioria dos votos dos grandes eleitores, precisamente 759. Entre outros, foi eleito também Carlo Nordio, candidato dos Fratelli D’Italia, o único partido que decidiu não apoiar o bis do chefe de Estado: obteve 90 preferências, arrecadando mais votos que os eleitores do Grupo Meloni. Votos também para o magistrado Nino Di Matteo, candidato do ex partido 5 Stelle que deixou o partido: no total 37.  (FanPage)

Mattarella é o segundo chefe de Estado mais votado na história da República. Sandro Pertini foi o Presidente da República mais votado pelo Parlamento, com 832 consensos, apesar de sua eleição só ter sido alcançada no décimo sexto escrutínio. A partir desta noite segue neste ranking, Sergio Mattarella, com 759, depois Francesco Cossiga, com 752 votos. Depois Giorgio Napolitano, por ocasião de sua reeleição, com 738; Carlo Azeglio Ciampi com 707, Oscar Luigi Scalfaro com 672, Sergio Mattarella na primeira eleição com 665, Giovanni Gronchi com 658, Giuseppe Saragat com 646, Giorgio Napolitano com 543, Luigi Einaudi e Giovani Leone com 518 e Antonio Segni com 443. (Il Sole 24 Ore)

“São dias difíceis que exigem não fugir das decisões do Parlamento”, disse Mattarella em um breve discurso, aceitando assim a reeleição no Colle. O juramento será no dia 3 de fevereiro, às 15h30 (horário italiano), na Câmara. Os grandes eleitores, portanto, deram a Mattarella o segundo mandato como chefe de Estado. Imediatamente após a proclamação na Câmara na Câmara, interrompeu um aplauso estrondoso semelhante ao (com duração superior a 4 minutos) que saudou a superação do quórum de 505 votos por Mattarella e ao que acompanhou a conclusão da contagem dos votos . No total, o chefe de Estado cessante obteve 759 votos. “A reeleição de Sergio Mattarella para a presidência da República é uma notícia esplêndida para os italianos. Agradeço ao presidente por sua escolha de apoiar a vontade muito forte do Parlamento de reelegê-lo para um segundo mandato”, comentou o primeiro-ministro Mário Draghi. “É uma vitória para todos, o crédito fica por conta do trabalho em equipe”, disse o secretário do Partido Democrata, Enrico Letta, abraçando então, no corredor do transatlântico, o presidente do Movimento 5 Estrelas Giuseppe Conte. “A Itália ganhou, temos um presidente fiador”, sublinhou Conte. Imediatamente após a proclamação, Matteo Salvini chamou Mattarella para felicitar o Chefe de Estado e felicitar o Papa Francisco “pela alta tarefa que aceitou com espírito de generosa disponibilidade”. Saudações ao Chefe de Estado (só para citar alguns) do presidente da Comissão Europeia Von der Leyen, do presidente do BCE Lagarde e do presidente francês Macron. (La Repubblica)

O bis Mattarella tornou-se o único caminho possível após os vetos cruzados dos partidos, após a ruptura da centro-direita que queria provar a candidatura de Casellati. Quando os dirigentes realmente perceberam que não tinham os números para fazê-lo sozinhos, nem a capacidade de encontrar um nome super partes que pudesse ter amplo apoio, a escolha mais natural foi se refugiar na instituição máxima da República: o Presidente cessante que, apesar de ter passado os últimos meses reiterando o quanto era importante não cair na tentação do bis, como aconteceu com Napolitano, foi forçado a aceitar, permitir que o Parlamento, os líderes políticos e o país saísse deste impasse.  (FanPage)

Fontes : La Repubblica, Il Sole 24 Ore e Fanpage It.



Todas as Notícias