Turismo é apontado por secretários como um dos setores que pode alavancar desenvolvimento do Rio

27/08/2021


Incentivo ao turismo e medidas de desburocratização são algumas das propostas para o desenvolvimento econômico pós-Covid no estado do Rio, debatidas por secretários municipal e federal no Conselho Empresarial de Economia da Firjan, em 12/08. A federação também contribuiu apresentando o cenário econômico atual.

Marcel Balassiano, subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação da Prefeitura do Rio, prevê que, em setembro deste ano, a atividade econômica na capital volte ao nível pré-Covid. “O PIB deve crescer 5,4% em 2021 no município. Ainda em agosto, todos a partir de 18 anos estarão vacinados, pelo menos com a primeira dose. Um sinal de recuperação: o município gerou 22 mil empregos formais no primeiro semestre deste ano”.

A Prefeitura adotou medidas como Transformação Digital, que digitalizou as licenças ambientais, e Licin (Licenciamento Integrado) para obras, que emite licenças em até 30 dias. “Para incentivar o turismo, um dos setores mais impactados pela pandemia, pretendemos trazer quatro grandes eventos internacionais até 2024. Um deles é o Web Summit 2022”, planeja Balassiano.

No Ministério da Economia, Jorge Lima, secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, também defendeu a retomada dos investimentos em turismo. “Não recebemos mais turistas por uma falha estruturante, não tem estrada de qualidade para muitos destinos. O desregulatório ambiental é necessário. Atualmente, o investidor demora até cinco anos para ter uma licença e desiste. Desburocratizar é urgente”.

Lima citou projetos que ele considera fundamentais para o Brasil e para o Rio, como o Marco do Empreendedorismo, e pediu a união da indústria e de parlamentares para essas aprovações no Congresso Nacional. “Perdemos R$ 1,5 trilhão por ano por questões de competitividade. Ou trabalhamos o Custo Brasil ou nada vai andar”.

A conjuntura atual do Rio foi apresentada por Jonathas Goulart, gerente de Estudos Econômicos da Firjan: sete em cada 10 vagas fechadas durante a pandemia foram reabertas. “O comércio e a indústria puxam a recuperação do emprego formal no estado; e os municípios mais industrializados lideram a retomada do emprego”. A previsão da Firjan para o crescimento do PIB é de 3,8% em 2021.

Rodrigo Santiago, presidente do Conselho, elogiou o trabalho que a gestão municipal tem feito para retomar o dinamismo da economia e ressaltou também o trabalho de Jorge Lima pela competitividade da indústria, “que é a maior geradora de emprego e renda do país. Jonathas mostrou o lado positivo da retomada, apesar de o número de incertezas ainda ser grande”.

Fonte: Firjan



Todas as Notícias