ENTREVISTA DO PRESIDENTE BARILLÀ AO “SOLE 24 ORE”

11/08/2016


O presidente da Câmara ítalo-brasileira do Rio de Janeiro, Alessandro Barillà, deu uma entrevista ao jornal italiano “Il Sole 24 Ore”, que foi publicada hoje. Barillà, falando da situação econômica atual do Brasil, convida os empreendedores italianos a investirem no pais, porque é este o momento certo. Segue o texto integral da entrevista:

 

“Empresas italianas, invistam agora!”

Aproveitem o momento e remem contra a maré: “Aos empreendedores italianos digo que não há momento melhor para investir no Brasil” diz Alessandro Barillà, presidente da Câmara Ítalo-brasileira de comércio e indústria do Rio de Janeiro. E continua: “A instabilidade política do país é evidente e esperamos que se resolva logo, mas os fundamentais são bons e não existe nenhum risco para a democracia. Além das turbulências, a certeza é que o Brasil oferece oportunidades únicas. A crise teve origem num modelo de crescimento errado, é precisa uma nova direção, para um equilíbrio mais centrista, com uma verdadeira cultura de abertura do mercado.”

Nos últimos 13 anos, desde a presidência Lula até à da Rousseff, os governos do Partido dos Trabalhadores mantiveram o pais estagnado, contando com a fase expansiva do setor do petróleo. Depois, a crise das matérias-primas mudou algo, e tímidas aberturas foram feitas para encontrar empresas que colaborassem com a Petrobras: “O Brasil é um continente, – explica o presidente – tem enormes necessidades de infraestrutura, ferrovias, estradas, grandes corredores de água a serem melhor explorados: nessas áreas as empresas italianas podem encontrar espaços de negócios e é este o momento para investir, com a economia e a moeda brasileiras fracas, e com projetos de longo prazo.”

Barillà falou sobre o assunto também com Matteo Renzi, o primeiro-ministro italiano, durante a visita da semana passada no Rio de Janeiro. É preciso começar a partir das relações entre os dois países, prejudicadas após o caso do ex-terrorista Cesare Battisti. É preciso começar a partir de uma melhoria das relações, que estimulem os investimentos italianos no Brasil e as oportunidades de crescimento do Brasil na Itália. Para que isso aconteça, já foi programada uma missão de empreendedores italianos guiada pelo ministro do Desenvolvimento Econômico Carlo Calenda: “No momento – diz Barillà – o que falta é um grande banco italiano que possa acompanhar este tipo de desenvolvimento, mesmo lembrando de uma recente aquisição da Banca Intesa no Brasil. Também, a nossa tarefa é de dar força àquele imenso patrimônio representado pelos mais de 30 milhões de descendentes de italianos, que já são um mercado muito amplo”.

M.L.C.



Todas as Notícias